Sex and the City 2 Sinopse: A diversão, a moda, a amizade: ‘Sex and the City 2′ traz tudo isso de volta e muito mais quando Carrie (Sarah Jessica Parker), Samantha (Kim Cattrall), Charlotte (Kristin Davis) e Miranda (Cynthia Nixon) arrasam novamente pela Big Apple— e outros lugares.

O que acontece depois do “sim”? A vida é exatamente como elas desejaram que fosse, mas não seria Sex and the City se a vida não guardasse mais algumas surpresas…

Desta vez elas aparecem na forma de uma aventura glamurosa e ensolarada que carrega as mulheres de Nova York para um dos destinos mais luxuosos, exóticos e enigmáticos do planeta, onde a festa nunca termina e há sempre algo misterioso em cada esquina. Uma viagem que surge no momento perfeito para as quatro amigas, que se descobrem envolvidas nas regras tradicionais do casamento e da maternidade, e tentam lutar contra isso.

Afinal, às vezes tudo o que você precisa escapar com suas amigas.

Eu simplesmente amei cada cena e cada minuto no cinema assistindo esse filme. Não sei se é porque eu tenho todas as temporadas e o primeiro filme e que eu sou apaixonada por essas quatro amigas super fashion que eu não poderia não gostar do segundo filme. Quem adora um mundo fashion tem que ter um parada obrigatória no cinema para assistir. Gente o filme é imenso e você nem ver o tempo passar.

Para os curiosos de plantão o João ficou com o pai em casa. Marido me permitiu tirar três horinhas para ir ao cinema.

E em casa durante essa semana eu assisti alguns filmes que eu sempre quis assistir mais nunca tinha tido a oportunidade.

Tinha que ser voce – Last Chanse Harvey: Harvey Shine (Dustin Hoffman) está em Londres por causa do casamento de sua filha. É quando o inesperado acontece e ele conhece Kate Walker (Emma Thompson), uma inglesa que desperta no protagonista sentimentos há muito tempo esquecidos.

É um filme muito bom de uma história linda. Em alguns momentos me deparei com a minha própria vida.

Velozes e Furiosos 4:Quando um crime faz com que voltem a Los Angeles, o ex-presidiário e fugitivo Dominic Toretto (Vin Diesel) reencontra o agente Brian O Conner (Paul Walker). Mas eles são forçados a confrontar um inimigo em comum e se juntam para construir uma nova aliança.

Eu adoro esses filmes de carrões e corridas e brigas com amores. Assistir todos os veloses e furiosos.

Johnny e June:A história do cantor Johnny Cash (Joaquin Phoenix), desde sua juventude em uma fazenda de algodão até o início do sucesso em Memphis, onde gravou com Elvis Presley, Johnny Lee Lewis e Carl Perkins. Sua personalidade marginal e a infância tumultuada fazem com que Johnny entre em um caminho de auto-destruição, do qual apenas June Carter (Reese Whiterspoon), o grande amor de sua vida, pode salvar.

É aquele filme que conta a história de um cantor sabe? Eu gosto de saber como foi a vida estrelada. É um filme bem bonito.

No Limite (The Express): Baseado numa história real, No Limite conta a trajetória do jovem atleta Ernie Davis (Rob Brown), o primeiro negro norte-americano a vencer o Prêmio Heisman e mesmo assim impedido de disputar a liga profissional. Ele superou os mais terríveis obstáculos, econômicos e raciais, para se tornar um dos mais rápidos e habilidosos “running back” do time Syracuse Orangemen. Sob a orientação do técnico linha dura Bem Schwatzwalter (Dennis Quaid), um pai de família obcecado pelo Título Nacional, Ernie se transforma numa verdadeira lenda do esporte universitário. Em meados de 1960 a América estava dividida e à beira de uma guerra civil, com os negros revoltados com as leis racistas impostas de maneira autoritária e Ernie teria de provar a todos mais uma vez que o esporte pode superar todas as barreiras.

Aquele filme que o negro é discriminado entre os brancos em um time de futebol americano nos anos 60 e as vezes acho que hoje ainda existe.

Coraline: O filme mostra a história de Coraline, uma menina que se muda com sua família para uma enorme casa. Explorando as inúmeras portas do local, a menina acaba abrindo uma que dá para outra casa, em outro mundo, cujos habitantes querem mantê-la presa, como sua filha.

Adorei o filme.

Passaporte para a Confusão: Após se formar no 2º grau, Scott Thomas (Scott Mechlowicz) pensa em passar o verão com Fiona (Kristin Kreuk), sua namorada. Porém ela lhe dá um tremendo fora. Para piorar Scott segue os conselhos de Cooper Harris (Jacob Pitts), seu melhor amigo, e manda um e-mail desaforado para um amigo, Mieke (Jessica Boehrs), que mora em Berlim, pois Cooper acha que Mieke é gay. Só então descobre que Mieke é uma bela jovem, mas Scott não pode nem tentar se retratar, pois seu e-mail foi bloqueado por ela. Assim ele decide ir até Berlim achar Mieke, juntamente com Cooper. Viajando de um jeito econômico, eles vão primeiramente para Londres, que seria a primeira etapa de muitas confusões na tentativa de achar Mieke.

É aquela comédia besta quando a gente não esta fazendo nada de melhor.

Eu te amo, cara: eter Klaven (Paul Rudd) é um bem-sucedido agente imobiliário que está noivo da mulher dos seus sonhos, Zooey (Rashida Jones). Durante os preparativos do casamento, ele percebe que não tem amigos próximos o suficiente para serem seus padrinhos na cerimônia. Ele resolve conhecer homens para serem seus amigos. Depois de uma série de encontros bizarros com esse objetivo, Peter conhece Sydney Fife (Jason Segel), com quem ele se identifica. No entanto, na medida em que a amizade cresce, mais o relacionamento de Peter e Zooey sofre.

Outra comédia bestinha/boazinha ao mesmo tempo.

500 dias com ela: Quando Tom, azarado escritor de cartões comemorativos e românticos sem esperanças, fica sem rumo depois de levar um fora da namorada Summer, ele volta a vários momentos dos 500 dias que passaram juntos para tentar entender o que deu errado. Suas reflexões acabam levando-o a redescobrir suas verdadeiras paixões na vida.

Eu pensei que esse filme fosse bom, mas eu sinceramente achei muito besta. O cara sofre de mais por aquela mulher. Coitado.