Quando li uma reportagem de Bianca Rinaldi contando sua vida com as gêmeas Bia e Sofia ela diz a seguinte frase: “Filho não muda a vida, é outra vida” e eu disse para mim mesma chegou a hora de fazer o post/blog para o dia das mães.
Hoje dia 09 de Maio, segundo domingo de maio, dia das mães, desejo a todas as mães que um dia irão ser, que são e que um dia foram um ótimo dia repleto de alegria.
Hoje também é o meu primeiro ano como mãe. E eu tenho tanta experiência para contar, mas não contarei por falta de time. Time esse que dedico 24 hrs ao dia para meu filho. O meu João, meu principie, meu rei, meu bochechudo, meu delicia, minha VIDA. Ele foi a coisa mais feliz que aconteceu na minha vida. Ele preencheu um vazio que eu não sabia que existia dentro de mim. Ele foi um presente que não custa dinheiro, mas custa nosso amor. E ser mãe dá trabalho, um trabalho prazeroso de se fazer.
E hoje eu conto uma história bem engraçada que aconteceu comigo.

Um dia eu fui almoçar em um restaurante bem conhecido aqui no Rio com marido e João. A recepcionista do restaurante me pediu para preencher um “fichinha” que seria para um sorteio. Nessa “fichinha” pedia para eu informar minha profissão. No momento eu hesitei, sem saber como me classificar. No mesmo momento eu olhei para Manuel e disse: antes eu colocava como estudante, mas hoje eu sou o que? aí Manuel disse: Hoje você é mãe, mãe em tempo integral. No mesmo momento eu disse: “Claro que tenho um trabalho”, “Sou mãe!” E foi o que eu coloquei no papel Mãe. No mesmo momento a recepcionista deu um sorrizinho e não disse nada.

Eu conto isso porque é verdade. Mãe não trabalha de carteira assinada, mas ser mãe é um trabalho muito importante onde desenvolvemos um programa de longo prazo (qualquer mãe faz isso), em laboratório e em campo experimental (dentro e fora de casa).
Sou responsável por uma equipe (minha família). Trabalho em regime de dedicação exclusiva. O grau de exigência é a nível de 24 horas por dia.

“…Ser mãe é andar chorando num sorriso!
Ser mãe é ter um mundo e não ter nada!
Ser mãe é padecer num paraíso!…”

Coelho Neto